O QUE É?

Se é fofinho, se é bonitinho… esse não é o nosso compromisso. Aqui vamos atrás de informação de qualidade – que pode até agradar a vista e ser bem humorado. O “E aí, bicho?” nasceu com DNA jornalístico. Falamos de animais, mas com foco em gente.

São reportagens, entrevistas, curiosidades e prestação de serviço que tratam dessa interação que impacta na economia, na ciência, na saúde, nas artes, no comportamento, nas leis, enfim, na vida.

ebeeee593e89418a91c996c06a91b1f3

QUEM FAZ?

Desde que me entendo por gente sou repórter, mesmo quando não podia ser chamada assim por defender minhas bonecas. Do que eu gostava? Boas histórias, canetinha, papel e de falar… pelos cotovelos como diria Dona Yara. Sim, era também cara-de-pau e aparecida. E assim sigo. Mas nessa época, o mundo a minha volta me conhecia pela minha indignação. Eram mãos na cintura e peito estufado para encarar uma injustiça – que normalmente não tinha nada a ver comigo. Aí veio a fama!

Antes de entrar para a faculdade de Jornalismo ouvia que seria advogada, juíza, delegada porque “Sabrina é briguenta”. Eu ria e via como elogio. Mas não. Dar voz a quem não tem voz é tarefa de repórter e aí me encontrei. Só que depois de tantos anos vendo desgraças e injustiças de humano para humano… cheguei a ficar sem esperança. Mas aí enxerguei os animais (não humanos, é assim mesmo que se fala!).

E não consegui mais deixar de ver bichos em todos os lados e o quanto eles também precisam de voz. Resolvi fazer esse canal há anos, em 2010, 2011… por dezenas de motivos ele não saia do papel. Mas pesistência é coisa de repórter também! E por isso, estamos aí!

ANTES DO CANAL

PARTICIPAÇÕES